TEATRO , MÚSICA CABO-VERDIANA E BANDOLIM SALENTINO SOB O CÉU DE ODEMIRA

O Festival Sete Sóis Sete Luas, promotor das artes e das culturas do Mediterrâneo e do mundo lusófono, com o apoio do Município de Odemira, volta um vez mas mas para celebrar a sua XXVII edição.

O Festival começa no dia 13 de Setembro com dois eventos imperdíveis. Às 19 na Zona Ribeirinha o artista circense catalão Yldor Llach (Espanha) apresenta um original e incrível espectáculo de bicicleta acrobática, “Sobre Ruedas” onde interage de uma forma natural e dinâmica com o público e onde as suas virtudes de acrobata ganham a admiração incondicional de participantes de todas as idades, desde os mais jovens aos adultos.

Às 21h30 na Cine – teatro Camacho Costa o espetáculo de Leo Bassi. Reconhecido mundialmente pelas suas extravagantes atuações de teatro e pelas suas ações provocatórias, Leo Bassi pertence a uma antiga família de atores excêntricos e de palhaços circenses oriundos de Itália, França e Inglaterra. É considerado um moderno criador de um estilo muito pessoal de comédia transgressiva, física e intelectual, com uma extraordinária capacidade de improvisar com o público. O seu trabalho desenvolveu-se em diferentes direções, tanto em teatros como em grandes eventos ao ar livre, em programas de televisão de todo o mundo e também em espetáculos realizados em autobuses ou barcos.

No 14 de setembro às 21h30 no Cine-Teatro Camacho Costa será apresentada a Brava7LuasBand. Esta produção original do Festival Sete Sóis Sete Luas conta com a participação de 5 prestigiados músicos da ilha da Brava.

O repertório do grupo defende a tradição musical da ilha das flores, conhecida pelas mornas e pela poesia de Eugénio Tavares, utilizando o crioulo, que confere aos temas uma emoção especial e harmoniza músicas tradicionais, composições originais e novos arranjos inspirados na cultura da ilha da Brava. Os 5 músicos, a cantora Rosa Borges, Carlos Lobo no cavaquinho, Zeca Barbosa na bateria, Zé Duarte na guitarra, Isaque Delgado no baixo, foram dirigidos musicalmente pelos mestres Efren Lopez (Valencia) e Sofia Neide (Portugal).

No 15 de Setembro o Cine- Teatro Camacho Costa ás 21h30 vai acolher o concerto de Mimmo Epifani & The Barbers. O virtuoso mandolinista e incrível front man Mimmo Epifani apresenta um extraordinário repertório original ligado a instrumentos de corda como bandolim, mandolamandoloncello e aos instrumentos étnicos utilizados nos salões de barbeiros do Salento (no sul da Itália). 

A musicalidade instintiva e profunda de Mimmo, ligada a raízes antigas, torna este musico um artista de nível internacional e inspirado nas músicas de todo o Mediterrâneo. Mimmo colaborou com grandes artistas como Massimo Ranieri, Eugenio Bennato, Antonio Infantino, Ambrogio Sparagna, Avion Travel. Nos últimos anos é um das protagonistas mais importantes da Notte della Taranta, o grande Festival dedicado à música do Salento.

No final desta vigésima sétima edição, no 27 de Setembro às 15h no Biblioteca Municipal José Saramago vai ser inauguarada a exposição de artes plasticás do artista Pedro Orozco.
Pedro Orozco Tristan começou timidamente com a aguarela como meio de expressão, após muitos anos de desenho e descobriu com surpresa que, para ele, não havia uma forma melhor de criar uma composição, porque a rapidez da técnica coincidia com a velocidade com que o seu cérebro a obrigava a tornar-se realidade. Rapidamente aplicou o seu conhecimento para colocar os objetos no espaço e, por último, procurou a luz, que saía de toda a parte, e encontrou-a a rodos.Pedro conta com uma linguagem própria. Na sua obra não temos de procurar as cidades que visitou, as paisagens por onde deambulou nos últimos anos, sendo evidente que são muitas e que estão nos portos do Mediterrâneo, nas medinas marroquinas ou nos elétricos lisboetas que protagonizam as suas aguarelas. Temos de procurar a sua linguagem criativa, a sua relação com o meio, com as pessoas ou com as máquinas.

Todos os espetáculos são com entrada livre.



Gallery: